top of page
Search
  • Writer's pictureAureo Lustosa Guerios

Por que ler Nas Montanhas da Loucura de H. P. Lovecraft?


"As Montanhas da Loucura" de H. P. Lovecraft é uma obra crucial no gênero do terror cósmico e da ficção científica. Publicado em 1936, o conto apresenta uma expedição a uma região remota da Antártica, onde os exploradores descobrem ruínas antigas e seres cósmicos aterrorizantes.  A importância da obra reside na habilidade de Lovecraft em evocar um horror cósmico e existencial, expandindo o gênero de terror para além dos limites terrenos. Seu estilo literário e atmosfera única influenciaram não apenas escritores de horror, mas também de ficção científica e fantasia.  Além disso, "As Montanhas da Loucura" explora temas como a insignificância humana diante da vastidão do universo e a ideia de que o conhecimento proibido pode levar à insanidade. Essas reflexões filosóficas e a construção de um mito fictício enriqueceram o universo literário de Lovecraft, tornando-o um marco na literatura de horror e uma fonte de inspiração para gerações de autores.  Em resumo, "As Montanhas da Loucura" é importante por sua capacidade de criar um horror cósmico único, expandir os limites do gênero de terror e explorar temas filosóficos profundos, deixando um legado duradouro na literatura e influenciando a imaginação de escritores e leitores ao redor do mundo.

1) Uma expedição aodesconhecido

Nas Montanhas da Loucura (At the Mountains of Madness) é uma das mais famosas novelas de H. P. Lovecraft. Publicada em 1936, poucos anos após The Call of Cthulhu, esta obra trata de uma expedição científica à Antarctica que é marcada por diversos acontecimentos sobrenaturais. O tema estimula discussões sobre geografia, geologia e arqueologia - interesses recorrentes na obra de Lovecraft- e também cria paralelos com obras de Mary Shelley, Edgar Allan Poe ou Jules Verne em que aventuras por lugares remotos são proeminentes.


2) Uma viagem arqueológica

Em At the Mountains of Madness, Lovecraft oferece aos leitores uma viagem arqueológica no tempo. A narrativa contém dados científicos reais sobre a Antártica, mas mistura-os com elementos fantasiosos. Por exemplo: a expedição liderada pelo geólogo Dr. William Dyer descobre fósseis de criaturas pré-históricas. De fato, a Antártica já foi habitada por dinossauros e, na Ilha de Seymour, encontra-se uma das maiores concentrações de fósseis do mundo. Porém, na narrativa, a descoberta revela a existência de uma civilização alienígena fundamental para a mitologiade Lovecraft.


3) Um começo

Se você nunca leu Lovecraft,

At the Mountains of Madness é uma excelente forma de adentrar à ficção do autor. A obra é repleta de suspense e, com sua mistura original de extraterrestres e horror, influenciou filmes como Alien (1979) ou Predador (1987). Além disso, ela apresenta elementos centrais para a mitologia lovecraftiana: o que são os Elder Things, as origens de Cthulhu, e até mesmo a história do Necronomicon - O Livro dos Mortos, livro fictício que aparece em diversos textos do autor.


4) A mistura entre o real e o ficcional

Um dos aspectos mais interessantesda obra de Lovecraft é, certamente, a mistura entre o real e o imaginário. O autor frequentemente utiliza elementos não-ficcionais para validar a fantasia, criando uma aura de veracidade históricapara suas narrativas. É comum que civilizações perdidas, livros mágicos ou estatuetas amaldiçoadas apareçam em suas obras imitando avanços da arqueologia da época. Nos anos em que Lovecraft produziu, descobertas arqueológicas extraordinárias vieram à luz: Howard Carter encontra a Tumba de Tutancâmon em 1922; a Civilização Olmecaé redescoberta em 1926; e, entre 1926 e 1934, Leonard Woolley escava as Tumbas Reais de Ur (antiga Suméria).


Lovecraft é um dos autores preferidos dos alunos do A Book a Month. Seus textos já foram lidos nos cursos Short Stories e Novels Intermediate. Venha você também praticar inglês através dos clássicos da literatura!










3 views0 comments

Recent Posts

See All

Kafka

Comments


bottom of page